HISTÓRIA DO MCC

A origem do Movimento de Cursilhos

Cursilho: Pequeno Curso


O Movimento de Cursilhos ou “a obra dos  Cursilhos”, como se dizia, teve seu início no singular contexto social, econômico, político e religioso da Espanha nas décadas de 1930-1940. Coube a iniciativa à Juventude da Ação Católica Espanhola (JACE) da Diocese de Palma de Maiorca (Ilha de Maiorca, Espanha), encorajada por seus assistentes eclesiásticos e por seu Bispo, D. Juan Hervás.


Participando de peregrinações promovidas pela JACE a destacados Santuários nacionais e, especialmente da preparação e realização da grande Peregrinação levando 80.000 jovens a Santiago de Compostela, em agosto de 1948, intuíram eles a “obra dos Cursilhos”. Aqueles “cursillos” ou pequenos cursos preparatórios à peregrinação, ministrados a milhares de jovens por toda a Espanha, durante vários anos, poderiam continuar a ser desenvolvidos, agora com outro direcionamento. Marcado por essa sua origem “peregrinante”, o MCC guarda, ainda hoje, algumas expressões típicas, como por exemplo, “Ultreya” (ir mais adiante, caminhar mais além com entusiasmo) e “Guia do Peregrino” (pequeno livro de orações). Num processo de “enculturação” do Movimento, no Brasil adotaram-se os termos “assembleia mensal” em lugar de “ultréia” e “Peregrinando Com Cristo” que vem substituir o antigo “Guia do Peregrino”.


Um eixo doutrinário específico, constituído pelo anúncio jubiloso do Evangelho, através de um método próprio - o querigmático-vivencial - facilitaram a conversão entusiasmada de muitos jovens e sua inscrição nas fileiras da JACE. A conquista do mundo para Cristo era sua bandeira. Esse foi o objetivo específico daqueles primeiros cursilhos denominados: “Cursilho de Formação e Apostolado” o primeiro, em janeiro de 1949; “Cursilhos de Juventude” alguns outros, e “Cursilhos de Conquista”, em 1952-53.


Alguns jovens sacerdotes da Diocese de Palma de Maiorca que trabalhavam com a Ação Católica e com a JACE, estavam naturalmente influenciados pelas ainda recentes Encíclicas “Mystici Corporis” (1943) e “Mediator Dei” (1947), do Papa Pio XII. Um deles chegara recentemente de Roma, doutorado em Teologia e, segundo suas próprias palavras, “tinha obsessão por explicar às pessoas a verdadeira dimensão do cristianismo a partir da consciência do que era a Graça de Deus... levei à reunião dois tratados teológicos: ‘De gratia Redemptoris’ (Sobre a graça do Redentor, de Lennerz, e o volume correspondente da sinopse de Tanquerey...”. O método característico do Movimento surgiu do seu cunho vivencial, testemunhal, simples, honesto e transparente, ainda que o entusiasmo daí resultante pudesse tocar, de preferência, na emotividade das pessoas, o que não deixava de ser sumamente oportuno.


Como projeto e iniciativa da JACE, a “obra dos Cursilhos” expandiu-se por quase todas as dioceses da Espanha, embora contasse, também, com muitos adversários tanto no seio da própria Ação Católica como até da hierarquia. Diante de Roma e dos demais Bispos da Espanha, D. Juan Hervás assumiu pessoalmente a responsabilidade pela obra, dando a ela apoio efetivo, orientação pastoral e defendendo-a das acusações de que era vítima. Isso lhe valeu a transferência da Diocese de Maiorca para a de Ciudad Real. Em Maiorca, os Cursilhos, postos sob suspeita, foram praticamente suspensos pelo sucessor de D. Hervás, Mons. Enciso Viana, enquanto alguns dos iniciadores eram reduzidos ao silêncio. A suspensão provisória durou até fins de 1957. Em 1958 os Cursilhos voltaram a ser ali reorganizados.


Em 1953, na 15a. Assembléia Geral da JACE, tentando resolver dificuldades internas de relacionamento e de estrutura, D. Hervás deu àqueles “cursillos” o nome Cursilho de Cristandade: “... felicitação, sobretudo, por estes abençoados ‘cursilhos de Cristandade’, que têm a sorte, como Jesus Cristo, de ser ‘sinal de contradição, postos para tropeço e contradição de muitos’ ”, foram suas palavras entusiasticamente aplaudidas.(CAPÓ, Jaime, Cursillos de Cristandad, Ed. Águas Buenas, Porto Rico, 1989.)


Procurava-se explicar que o termo “cristandade” não tencionava caracterizar uma volta à Igreja medieval. Tratava-se, porém, de uma tentativa de fazer com que o mundo, “de costas para Deus”, como se dizia, se transformasse “em cristão”, pela ação de uma “cristandade”.


Padroeiro e o reconhecimento do Papa.


No dia 14 de Dezembro de 1963, num breve pontifício, ainda no primeiro ano do seu Pontificado, o Papa Paulo VI, declarou o Apóstolo São Paulo patrono celestial dos Cursilhos de Cristandade, "com todas as honras e privilégios litúrgicos devidos a tal título" na primeira ultréia mundial.  Em  julho 2000 na cidade de Roma na 3º ultréia mundial, quatro anos depois desse discurso. O Beato João Paulo II reconheceu o Movimento de Cursilhos como um Movimento Eclesial feito por Clero, Consagradas, Consagrados e pelo povo Leigo da Igreja Católica Romana


“Caríssimos Irmãos e Irmãs,
Sinto-me feliz por dirigir a minha afectuosa saudação a todos vós aqui reunidos dos cinco continentes para o terceiro encontro dos Cursilhos de Cristandade, a Ultreya do Grande Jubileu. Obrigado pela vossa visita e sejam todos bem-vindos.  Saúdo os cursilhistas de língua espanhola, vindos da América e da Espanha, recordando que foi em Palma de Maiorca que nasceu esta experiência apostólica, iniciada pelo Mons. Juan Hervás, zeloso pastor dessa comunidade eclesial.  Dou-vos as boas-vindas e encorajo-vos a fazer desta Ultreya do Grande Jubileu um tempo de renovado compromisso na santidade de vida e de apostolado.  Dirijo uma cordial saudação de boas-vindas a todos os participantes de língua francesa. Depois, dirijo de todo o coração uma saudação àqueles que aqui vieram dos países de expressão alemã. Oxalá esta celebração revigore a vossa fé. Saúdo a Presidente do Organismo Mundial dos Cursilhos de Cristandade e agradeço-lhe as cordiais expressões que me transmitiu em vosso nome, apresentando o compromisso apostólico do vosso Movimento e o bem que o Senhor realiza através de vós. Saúdo os fundadores e animadores espirituais, assim como os responsáveis do Movimento. Esta vossa presença, tão diversificada e festiva, testifica que a pequena semente lançada na Espanha, há mais de cinquenta anos, se tornou uma árvore frondosa, rica de frutos do Espírito. Aliás, ela continua a constituir uma feliz resposta ao interrogativo formulado pelo meu venerado Predecessor, o Papa Paulo VI, à primeira Ultreya mundial em Roma: "O Evangelho tem ainda a capacidade de conquistar o homem amadurecido... na civilização tanto urbana como rural?" (AAS, 58 [1966], pág. 503).  Por isso, uno-me com alegria à vossa acção de graças ao Senhor por tudo aquilo que Ele levou a cabo e não cessa de realizar no seio da Igreja, através dos Cursilhos de Cristandade.  O tema desta Ultreya mundial "Evangelizar os ambientes do terceiro milénio cristão: um "desafio" para os Cursilhos de Cristandade" testemunha o esforço por repropor com renovados instrumentos e entusiasmo a experiência de Cristo aos homens e às mulheres do século XXI. Isto torna-se ainda mais urgente, considerando que "inteiros países e nações, onde outrora a religião e a vida cristã foram tão prósperas e capazes de dar origem a comunidades de fé viva e operosa, se encontram hoje sujeitos à dura prova e, por vezes, até são radicalmente transformados pela contínua difusão do indiferentismo, do secularismo e do ateísmo" (Christifideles laici, 34)”.

 

As ultréias.


Senhores e senhoras o MCC  il  tem em  sua prática a realização da famosas ultréias setorial, Diocesana, regional, Nacional, continental e mundial.


Ultréia  ou ultreya,  é uma palavra de origem latina que pode ter vários  sinônimos    que são eles  mover-se,  ir além, , vá em frente, depressa, vá em em frente  ou mais bonito  que  foi descoberto nas paginas da Wikipédia   O “BOM CAMINHO” ou ainda temos alguns se refere como Maranathá (VEM SENHOR JESUS)´.  Foi uma saudação uma saudação nascida antes do  MCC existir era comum para todos  os jovens e adultos que fazem o caminho de Santiago saudarem seus   pares com a palavra ultréia.


Saudação decolores.


Decolores era um café onde se reuniam o grupo de jovens da Ação Católica que ia modelando o Cursilho. Nessa época era frequente cantar a canção popular «Decolores» e esse grupo fazia-o com animação nesse café. O grupo acabou sendo conhecido como os «Decolores». A letra foi modificada e adquiriu novos significados: estar «Decolores» significava (e significa) estar cheios da Graça de Deus, viver com Ele, comprometermo-nos com Cristo e com o irmão, transformando-se numa espécie de hino dos cursilhos. Decolores é uma mensagem positiva adotada pelos cursilhistas que significa  desperta para realidade. Colorindo o mundo com a graça vida do Retiro dos Cursilhos.


«Decolores» é estar com o Senhor, Desperta para Vida nova em Cristo.

 

A origem no Brasil.


Em 1962 o movimento de Cursilhos chegou ao Brasil entrando com os missionários espanhóis que a principio era voltado para os trabalhadores de origem castelhana. Aconteceu o primeiro Cursilho na cidade de Valinhos –SP, No  primeiro momento foi  coordenado e animado por presbíteros depois mais tarde  o Concílio Vaticano II, que dar um importantíssimo impulso ao programa do Cursilho, especialmente através da "Lumen Gentium" e da "Gaudium et Spes", que definiram e particularizaram o lugar e a missão do leigo na Igreja. E, a 28 de Maio de 1966 realizou-se a I Ultreia Mundial, em Roma, onde o Papa Paulo VI, numa alocução a todos os títulos inesquecível, consagrou ao mundo o programa dos Cursilhos de Cristandade, considerando-os como "palavra acrisolada na experiência, acreditada em seus frutos, que hoje percorre com carta de cidadania os caminhos do mundo.


Foi confiado ao leigo a missão de animar os Cursilhos que no primeiro momento tinha uma equipe clericalizada e convidavam os intelectuais e pessoas de posse para compor ou fazer o parte do Movimento.
Os encontros acontecia no período da Semana Santa  e no  primeiro momento se criava toda uma expectativa falsa  referente aos encontros, as mensagens dadas eram chamadas de rolos ou rolhos  e os coordenadores eram chamados de cardeais. Nos anos 80 do século passado foi alterado toda a forma de trabalho os  participantes passaram a ter titulo de coordenadores e mensageiros e foi abolido a  questão do rolho e foi criada a estrutura que  envolve o Organismo a nível mundial. 


O método de trabalho do cursilho envolve  o tripé do cardeal  belga Josef-Léon Cardijn.(Ver-Julgar-Agir). O MCC cresceu de uma forma que em 1984 a Igreja Episcopal Carismática do Brasil, mas ante disso na década de 70 mulheres e homens  das  Igrejas Metodistas, Presbiteriana e outras em outras Igrejas no EUA fizeram a experiência do Cursilho lá  usavam  toda linguagem do MCC.


Uma das marcas do MCC é forma de alavancar seus Cursilhos, através das orações feitas em toda parte do mundo pelo o bom êxito do encontro. Neste momento em alguma parte do mundo esta acontecendo um cursilho pedimos aos leitores que façam uma oração sincera por esses jovens ou adultos que buscam fazer a experiência deste movimento (isso é uma ALAVANCA de oração).   O encontro é marcado pelo PRÈ+CURSILHO+PÓS=nucleos ambientais. Sendo uma experiência envolvente no Mistério da Paixão,  Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, por  esse motivo o  Cursilho acontece em três dia e três noites e após essa experiência somos  desafiados a  seguir  o método proposta no encontro,  vivendo  o 4º dia de renascido pra Cristo e na Igreja, evangelizando os ambientes que vivemos e convivemos.


A chegada na Diocese de Nova Iguaçu.


O Movimento de Cursilhos entrou na Diocese de Nova Iguaçu pela porta da Guanabara, o encontro foi preparado durante o ano 1968 na Matriz da Paróquia N. Senhora Conceição – Belford Roxo seria realizado em novembro na Casa Retiro Nosso Lar, animado   por uma equipe vinda da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. A equipe tinha 5 padres entre eles  o jovem  Pe Fernando Vandenbeele CICM. 


Planos de Deus.


Como já escrevemos o cursilho no primeiro momento era voltado para uma elite intelectual e para pessoas de posse. Entre as pessoas  havia um senhor  conhecido com Pai Jacó  não sabia somar as letras, que sonhava trabalhar no primeiro Cursilho da Diocese de Nova Iguaçu. No dia de subir para Casa de Retiro ele foi comunicado que não fora eleito para  compor a equipe. Jacó ficou triste e falou que  de alguma forma ele trabalharia no primeiro Cursilho da Diocese de Nova Iguaçu. No dia planejado,   quando ia começar o encontro o gerador de energia da casa de retiro da uma pane  que provoca o cancelamento do retiro. No carnaval do ano seguinte foi marcado  novamente para acontecer o primeiro Cursilho da Diocese de Nova Iguaçu, agora com o Pai Jacó na equipe. Tudo correu bem  ele foi realizado na graça  e no projeto do Cursilho.

 

Já se passaram  45 anos,  já aconteceram 137 Cursilhos masculino sendo 9 somente com jovens, 127 cursilho feminino sendo 10 somente com jovens no total de 264 cursilhos. Já aconteceram 10 Assembleias Diocesanas e percebemos um movimento que buscar esta vivo e presente na atualidade. Sempre com a missão de anunciar o evangelho encarnado na realidade através do método Kerigmático

 

Movimentos eclesiais são agrupamentos de fiéis da Igreja Católica organizados de acordo com as dioceses ou independentemente, previstos no Código de Direito Canônico. Os movimentos eclesiais podem ou não ter estatuto próprio. Existem de vários modos, de acordo com uma necessidade local da Igreja ou mesmo do tempo em que vivem. Os movimentos caracterizam-se por agirem com mais liberdade do que as associações de fiéis (privadas ou públicas) tanto no agir pastoral quanto na participação de novos membros.

 

- Movimento de Cursilhos de Cristandade

I corintios 16,22 e Ap 22, 20

 

Atrai o cursilhista com promessa de um passeio, jogo de futebol ou banho de piscina etc

No cursilho de três dias são 18 mensagem que   ligadas formando uma corrente com uma única mensagem.

 

Nascido em 18 de novembro de 1882 e falecido em 25 de julho de 1967. Suas atividades era marcada pela ação pastoral social no método ver julgar e agir.

Um dos ramos da Igreja Anglicana

Analfabeto

agenda
cursilho
nossos contatos

cursilhodecristandade.ni@gmail.com
(21) 2669-5815
/mccni
O que é o MCC?

O cursilho é um movimento eclesial de evangelização cristã, surgido na Igreja Católica, no seio da Ação Católica Espanhola do início do século XX.
Layout desenvolvido por:
Copyright ©2014 direitos reservados